O MUDE (Museu do Design e da Moda) inaugura no próximo dia 21 deste mês, no antigo edifício da sede do Banco Nacional Ultramarino, em plena baixa de Lisboa. O edifício ainda terá obras de adaptação e a sua abertura oficial só irá ter lugar no próximo ano, mas a exposição “Ante-estreia” do acervo é uma primeira mostra de uma colecção de nível internacional onde estão representadas peças desenhadas por nomes como: Phillipe Starck, Charles Eames, George Nelson, Arne Jacobsen, Verner Panton, Paul Henningsen, Vener Panton, Masanori Umeda, Henning Koppel, and Tom Dixon., referências fundamentais na história do design industrial e de Mobiliário.

Seis anos depois da compra da Colecção “Francisco Capelo” pela Câmara Municipal de Lisboa e três anos após a saída do acervo do Centro Cultural de Belém, a história do Museu do Design, conhece agora um novo capítulo: a abertura ao público em espaço próprio, num prédio de sete andares que ocupa todo um quarteirão da Baixa Pombalina. O Museu reúne alguns dos mais emblemáticos objectos desde meados da década de 1930 até à actualidade, mobiliário, moda e pequenos objectos utilitários que reflectem os principais movimentos e tendências do design mundial no século XX.

A exposição “Antestreia – Flashes do MUDE” apresenta 15 núcleos com uma seleção de 180 de peças de design, que foram protagonistas do seu tempo e que marcaram alterações ao nível das habitabilidades do espaço, os hábitos das pessoas e do próprio modo de entender o corpo, numa linha cronológica desde os anos 30 até ao final do século XX, incluíndo algumas peças de vestuário famosas assinadas por nomes como: Pierre Balman, Courrèges, Paco Rabanne, Gaultier, Vivienne Westwood ou Jonh Galiano.

Esta exposição vai estar patente ao pùblico até 11 de Outubro. Depois, a 4 de Junho, inaugura uma exposição de cartazes políticos – “Ombro a Ombro” – produzida pelo Museu do Design de Zurique, e que levanta interrogações sobre o modo como se processa a construção da imagem visual de um político, as suas rupturas e semelhanças ao longo do tempo.

http://www.mude.pt/